RSS

Blog

Descansar mais, treinar menos: evolução na corrida passa pela boa recuperação

Descansar mais, treinar menos: evolução na corrida passa pela boa recuperação

Sem o devido repouso, o atleta começa a lutar para manter o rendimento e, frequentemente, fica muito mais cansado do que o habitual depois das atividades, podendo sentir até mais lesões

 
Descansar mais, treinar menos: evolução na corrida passa pela boa recuperação

Por Gustavo Luz, Rio de Janeiro

 

Quando um objetivo de tempo não é atingido, muitos corredores logo pensam: “preciso treinar mais”. Mas, na verdade, vários deles deveriam pensar: “preciso descansar mais”. É na fase de recuperação, principalmente no momento do seu sono profundo, que o seu corpo se adapta ao esforço e, com isso, evolui. Sem o devido descanso, ele começa a lutar para manter o rendimento e, frequentemente, fica muito mais cansado do que o habitual depois dos treinos. Em casos mais extremos, você perde até a vontade de correr.

Seu organismo emite alguns sinais de que você está treinando demais e descansando de menos, um deles é a frequência cardíaca elevada, geralmente um indicativo de estresse físico ou emocional. Quando seu corpo está esgotado pelo treinamento e/ou tarefas do dia a dia, ocorre a produção de substâncias que podem te deixar mais irritado e ansioso.

Outros sinais de alerta são muitos treinos com baixo rendimento, dores musculares periódicas, infecções nas vias respiratórias (principalmente garganta) e aumento do número de lesões. Um sono consistente é essencial para o crescimento e a reconstrução das fibras musculares, e noites de sono ruim em sequência podem ser devastadoras para a sua perfomance. Se você passa por um momento de estresse em alta na vida pessoal ou no trabalho, deve se dar ao luxo de pegar mais leve no treino.

 

 

Uma boa sugestão em uma fase dessas é diminuir, na média, cada treino em 20 ou 30%; você também pode fazer o treino inserindo algumas caminhadas regulares, como por exemplo, alternar quatro minutos de corrida com 1 minuto de caminhada ou nove minutos de corrida com 1 minuto de caminhada.

 

*As informações e opiniões emitidas neste texto são de inteira responsabilidade do autor, não correspondendo, necessariamente, ao ponto de vista do Globoesporte.com / EuAtleta.com.

 
É educador físico formado pela Estácio de Sá, treinador de corrida e triatlo desde 2006 e praticante há quase 20 anos. Diretor técnico da G-LUZ Top Team, vive atento a tudo que se refere à fisiologia do exercício. Também fala com conhecimento empírico de quem está sempre frequentando as competições (Foto: EuAtleta)

É educador físico formado pela Estácio de Sá, treinador de corrida e triatlo desde 2006 e praticante há quase 20 anos. Diretor técnico da G-LUZ Top Team, vive atento a tudo que se refere à fisiologia do exercício. Também fala com conhecimento empírico de quem está sempre frequentando as competições (Foto: EuAtleta)