RSS

No blog de '2017' 'agosto'

Pescoço travado e dolorido? Veja causas e melhores formas de tratar o torcicolo

Pescoço travado e dolorido? Veja causas e melhores formas de tratar o torcicolo

Problema é uma reação exagerada do corpo à algum evento, como um movimento brusco, ou permanecer dormindo muito tempo em uma posição inadequada, explica fisioterapeuta

 
Pescoço travado e dolorido? Veja causas e melhores formas de tratar o torcicolo 

Por Raquel Castanharo, Jundiaí, SP

 

 

Acordar com o pescoço travado e dolorido, sem conseguir movimentar a cabeça completamente para um dos lados. É um problema que, infelizmente, quase todos nós experimentamos: o torcicolo. Nessa condição, há um espasmo nos músculos do pescoço e ombro. Ou seja, esses músculos ficam mais contraídos do que deveriam, o que gera dor quando os contraímos ou alongamos.

O torcicolo é uma reação exagerada do corpo à algum evento, como um movimento brusco, ou permanecer dormindo muito por tempo em uma posição inadequada. Os músculos se contraem de uma forma intensa, como um mecanismo de proteção, e podem demorar até alguns dias para retornarem ao seu estado original.

O tratamento imediato para o torcicolo envolve medidas de relaxamento muscular, como uma massagem leve, bolsa de água quente, acupuntura, movimentos e alongamentos suaves dos músculos envolvidos e contração isométrica leve para estabilização articular.

 

Massagens e alongamentos bruscos podem piorar o torcicolo em vez de ajudar, pois o corpo entende essas intervenções como uma agressão e acaba intensificando a reação de proteção. Por isso, paciência também faz parte do tratamento desse problema, entendendo que é normal o corpo precisar de algum tempo para se recuperar totalmente.

 

Algumas pessoas têm episódios recorrentes de torcicolo, o que pode ser causado por uma instabilidade articular, fazendo com que os músculos tenham que entrar nessa reação de proteção exagerada com frequência. O tratamento nesse caso envolve medidas de longo prazo para deixar o segmento mais estável.

*As informações e opiniões emitidas neste texto são de inteira responsabilidade do autor, não correspondendo, necessariamente, ao ponto de vista do Globoesporte.com / EuAtleta.com.

 
Fisioterapeuta formada e mestra em biomecânica da corrida na USP. Realizou pesquisa em biomecânica da coluna na Universidade de Waterloo, Canadá. Trabalha com fisioterapia e avaliação biomecânica em São Paulo e Jundiaí. www.raquelcastanharo.com.br (Foto: EuAtleta)

Fisioterapeuta formada e mestra em biomecânica da corrida na USP. Realizou pesquisa em biomecânica da coluna na Universidade de Waterloo, Canadá. Trabalha com fisioterapia e avaliação biomecânica em São Paulo e Jundiaí. www.raquelcastanharo.com.br (Foto: EuAtleta)